Para quem tem um fator de risco como hipertensão ou diabete e ainda é fumante, o prognóstico para Covid-19 pode ainda ser pior. Praticar atividade física é uma das orientações

Uma situação muito peculiar e cheia de dificuldades é a do fumante que está confinado de quarentena em casa, onde costumava não fumar ou se afastava da família para fumar. Convidei a psicóloga Silvia Cury, gerente do Serviço de Psicologia do HCor (Hospital do Coração da Associação Beneficente Síria em São Paulo) para orientar esses fumantes na quarentena. A quarentena com isolamento social, daqueles que convivemos em casa, tem seus aspectos positivos, nos protegendo do coronavírus. Mas pode trazer consigo aspectos negativos, como sintomas de estresse pós-traumático, sintomas depressivos, tristeza, uso exagerado de álcool e cigarro, estado confusional e irritabilidade.

O confinamento nos fez experimentar repentinamente uma nova forma de viver fazendo com que a rotina de cada um mudasse radicalmente. Para aqueles que podem trabalhar em casa (home office), trouxe a ansiedade de aprender dividir seu tempo em casa trabalhando e tendo que, ao mesmo tempo, cuidar de afazeres domésticos. Ainda há a situação política e econômica do país, trazendo muitas incertezas quanto ao futuro próximo, perdas financeiras e frustrações de projetos interrompidos e que talvez não poderão mais ser concretizados. Sabe-se ainda que todo este contexto pode fazer com que as pessoas em casa bebam mais, e a bebida chama o cigarro.

Mas o que aqueles que antes saíam para fumar para que sua família não fosse submetida à fumaça do cigarro estão fazendo agora? Estão restritos às suas sacadas ou à janela da área de serviço?

Isso não funciona adequadamente pois a fumaça tem um poder de propagação de até 15 metros. O ideal continua sendo descer e fumar em ambiente aberto, mesmo correndo o risco de se contaminar no elevador. Mas o melhor de tudo mesmo é parar de fumar. Este é um bom momento para que você se conscientize e procure fazer um esforço, e sabemos que é possível largar de vez esta dependência.

Sabia que o tabagismo é um fator de risco para a Covid-19? Que pacientes fumantes que adquirem a Covid tem maior probabilidade de agravamento do quadro e um prognóstico pior? Se você tem um fator de risco como hipertensão, diabete e é fumante, o prognóstico pode ainda ser pior.

Então aí vão as dicas:

  • Escolha um dia para parar de fumar – você pode parar gradativamente até zerar o cigarro no espaço de uma semana ou, no dia D, jogar o cigarro fora.
  • Para ajudar naqueles sintomas da falta da nicotina –
  1. Beba água toda vez que quiser fumar,
  2. Mastigue uma cenoura crua para ocupar a boca e as mãos,
  3. Faça exercícios de respiração profunda que ajuda você a relaxar,
  4. Distraia-se com alguma coisa que goste,
  5. E, o principal de tudo, faça atividade física no combate ao mal que é o sedentarismo.

Sim, a atividade física ajuda a liberar endorfina, que aumenta o prazer, dá uma sensação de disposição física e faz muito bem se for hipertenso ou diabético. Ocupa tempo e confere um bem-estar que pode substituir o prazer momentâneo e ruim do cigarro. Mas estou preso em casa! Como fazer? Peça uma recomendação ao seu médico ou faça uma busca na internet de um profissional de educação física, evite quem não tem formação universitária. A nossa recomendação é fazer apenas exercícios físicos que você já executou, não comece nada que nunca tenha feito.

Por Nabil Ghorayeb: Médico cardiologista do HCor, doutor em Cardiologia na FMUSP, chefe de CardioEsporte do Instituto Dante Pazzanese, Prêmio Jabuti de Literatura, Ciência e Saúde

Fonte: https://globoesporte.globo.com/eu-atleta/saude/post/2020/05/20/fumantes-em-quarentena-dicas-para-abandonar-o-cigarro.ghtml